❖ Blog post by adfeno

Como é viver sem um celular: Vade retro Samsung!

Numa bela noite, estava eu saindo da faculdade com um celular na mão, ligando ele, depois de uma prova cansativa, quando me deparo com um ciclista muito ágil, que por um descuido meu, acabou levando meu celular em sua corrida. Felizmente, eu nem mesmo tive tempo de colocar o chip do meu número de celular, então o apressado só fez isso pelas placas eletrônicas do dispositivo mesmo. :D

Se achas que fui até a delegacia on-line registrar um boletim de ocorrência, estás muito enganado. Alias, até agradeço que aquele dispositivo não documentado de rastreamento móvel de 1980 tenha ido para o espaço. Mas calma, eu não sou nenhum homem das cavernas, de fato dei uma chance para esse celular, passei mais de cinco meses tentando conciliar minha vida social, acadêmica, e ativista, juntamente com minhas tentativas de libertar meu celular das amarras do software não livre que havia ali dentro e, sim, estou falando do Linux Android, o qual pretendia substituir pelo Linux Replicant que, ao contrário do Linux Android e do Linux CyanogenMod, é o único sistema operacionais para dispositivos móveis que é software livre.

Apesar da Google desenvolver o Linux Android de uma forma aberta (apesar disso não ser suficiente), o problema maior, considerando que o Linux Android já é um problema em si, está nas fabricantes de dispositivos móveis, visto que elas podem modificar seus dispositivos para que eles aceitem apenas sistemas operacionais assinados pela fabricante, ou podem ainda remover softwares essenciais para a administração do sistema operacional atualmente instalado.

Então, eu não posso dizer que não tentei!

Toda a culpa foi da Samsung por ter modificado seus aparelhos para que eles aceitem apenas sistemas operacionais assinados pela fabricante (Samsung), e por ela ter removido pacotes essenciais como BusyBox, GNU Parted, e Su. Vade retro Samsung!

Sabem... Fala-se tanto em sustentabilidade, mas se esquece que a informação também é um recurso escasso, economicamente falando. Eu juro para vocês que se eu tivesse ficado mais um mês com aquele tijolo, teria jogado ele, discretamente, num acostamento qualquer, pois, uma vez que minhas liberdades essenciais como usuário do software que estava naquele computador são desrespeitadas, e uma vez que a informação contida ali não pode ser estudada ou adaptada, não me sinto obrigado a cooperar com quaisquer ações sustentáveis relacionadas àquele computador!!!

Pronto, falei.



Add a comment
  • Entendo seu ponto de vista. Mas, qual aparelho pode suportar o Replicant ? Mesmo que eu tivesse este aparelho, será que um leigo como eu tem capacidade de instalar um Replicante no meu celular?

  • @lunovox

    Bem, o site oficial do Replicant possui uma lista de aparelhos que foram testados e suportam ele, você pode ver mais em:

    http://www.replicant.us/supported-devices.php

    Pode ser que outros aparelhos sejam suportados, mas a maioria dos que já testamos e que não funcionam com o Replicant possuem Restricted Boot (que é o estado mais avançado do Secure Boot. O Secure Boot permite que o usuário insira sua própria chave de confiança no aparelho, já o Restricted Boot não, e quase sempre não há como desabilitar o Restricted Boot, e o aparelho só inicia caso passe pelo teste feito pelo Restricted Boot). No caso do meu celular, ele tinha Restricted Boot.

    Outro problema que temos é falta de aparelhos para se testar. Ao passo que brasileiros recebem centenas de celulares por mês e dão estes para pessoas que não farão quase nada com eles (ou simplesmente descartam eles), nós estamos tentando conseguir aparelhos novos e sem Restricted Boot para testar.

    Além disso, tem uma loja que vende aparelhos com Replicant pré-instalado, porém, eu não sei se há algum software não livre incluso ali pois ainda não avaliei em detalhes o catálogo deles, veja:

    http://www.replicant.us/supported-devices.php#stores

    https://tehnoetic.com/

    Finalmente, aqui no Brasil, temos algumas pessoas que conseguiram instalar do Replicant em aparelhos, se não me engano o professor Wellton Costa de Oliveira é um deles, veja:

    http://hemingway.softwarelivre.org/fisl17/41b/sala41b-high-201607151100.ogv

    http://agenda.fisl17.softwarelivre.org/#/2016-07-15

  • @lunovox

    Esqueci de avisar: Talvez é possível contratar um técnico para instalar o Replicant em teu aparelho. O Cydmn talvez consiga te ajudar, mesmo que à distância. O Cydmn tem mais experiência do que eu na instalação de sistemas nestes aparelhos (os procedimentos são quase iguais, independendo de ser um sistema livre ou não).

  • @adfeno Prece que no braZil é proibido o uso de celulares que não tenha sido pre-aprovados pelo governo. Segundo esta matéria, os celulares que não tenham o número MEI não registrado pela Anatel serão bloqueados pelas operadoras. Por isso imagino que é quase impossível usar celulares para telefonar no braZil que não tenha este Restricted Boot. Claro que posso estar enganado, mas vc conhece alguém no brazil tenha um celular que funcione para telefonar sem esse Restricted Boot?

  • @lunovox

    Até onde sei, os celulares da Tehnoetic são versões remanufaturadas dos da Samsung, não sei se é necessário conseguir MEI próprio.

    Por último, o requerimento da Anatel não é uma algema digital que impede a inicialização do aparelho, por isso não é Restricted Boot. Porém, concordo que podem existir outros problemas que eu desconheça.